Os meus melhores poemas
Nunca foram escritos
Pois dormem em telas desenhadas
De palavras aprisionadas
Nas sombras da minha memória
Amei-te quando me ausentei de mim
Como se ama algo no obscuro
Sem esperança de um novo pensamento
Escrevi coisas sem sentido
Num caminho de sentimentos
Onde os silêncios se atropelavam
Deixei vaguear a minha mente
Sem palavras, isolo-me em lágrimas
Afogando-me nas letras que tento escrever
Cobri-me de neblina, num poema
Onde morri ao tenta-lo escrever
Nos teus braços meu amor.