Loading

ISABEL MORAIS RIBEIRO FONSECA

castelafonseca@sapo.pt

ABRASAS


 - Tu és o meu porto seguro (...)
Onde eu quero ancorar o meu amor
   - Depois de uma tempestade
Encontro os teus braços à minha espera
 - Para encher o meu corpo com carícias
Na tua boca cada letra que deixo deixa-te vivo
 - Tu és um rio de neve em fogo convertido
Em mim és um peito abrasas escondido.
Afinal os teus doces lábios, fascinam-me
(...) E convidam-me ao pecado.