Loading

ISABEL MORAIS RIBEIRO FONSECA

castelafonseca@sapo.pt

AMO E AMO-TE

Amo o que nós temos
Amo e não abdico de ti
Amo a tua doce companhia
Amo o ar que pões só para me chatear
Amo quando me fazes sentir uma adolescente
Amo a tua voz melosa que me fazes
Amo os teus abraços fortes
Amo os teus beijos sentidos
Amo o teu olhar profundo que faz desviar o meu
Amo quando ocupas o sofá e invades o meu espaço
Amo uma batalha campal de uma guerra de almofadas
Amo que exijas respostas a perguntas que conheces as respostas
Amo que me trates pelo nome que nós sabemos
Amo entrelaçar os meus dedos nos teus
Amo sentir o teu corpo contra o meu
Amo o aconchego que tu me dás
Amo o quentinho do teu corpo que me fazes sentir
Amo que te faças de santo e me faças sentir um demónio
Amo o teu lado doce e o teu lado perverso
Amo a cumplicidade que juntos criámos
Amo que sejamos especiais um com o outro
Amo ter-te por perto e detesto sentir a tua ausência
Amo tudo o que me dás, tudo o que me fazes sentir
Amo tudo que é teu e amo-te simplesmente pronto
Tu meu amor mergulhaste dentro de mim
Dentro dos meus pensamentos, dentro do meu ser
Criaste raízes tão profundas, tão fortes que já não secam.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca