Loading

ISABEL MORAIS RIBEIRO FONSECA

castelafonseca@sapo.pt

AMO-TE NO MEU SILÊNCIO

Amo-te no meu silêncio
Nem as rosas do meu jardim
Sabiam deste amor tão inocente
Que sopra baixinho em mim
Deixa-me correr, correr ao sabor
Da tua voz, ama-me embala-me
Ao som do teu corpo
Neste jardim perfumado de ti
Faz de mim uma flor
Na branca neve
Um grão de areia dentro de ti
Amo-te no meu silêncio
No imenso mar de estrelas
De um beijo atrevido
Dado pelas rosas perfumadas
Que sabem da minha dor
Descomposto entre os suspiros
Num leve aroma de ti
Amo-te no silêncio da minha alma
Nem as rosas sabem do meu amor por ti.