Loading

ISABEL MORAIS RIBEIRO FONSECA

castelafonseca@sapo.pt

DELEITO-ME

Deleito-me no teu abraço
Da minha alma faminta
Na loucura da ternura
Do bater do coração
Entre o silêncio que fala
No gemido desta noite
Que dispersa em carícias
Ao encontro dos nossos corpos
Somos amantes neste mundo
Nos profundos pensamentos
Deleito-me na profundidade
Das palavras feitas poesias
Com tanto amor me elevas
Afagas o meu corpo em prosa
Nos recantos cortejados sem pudor
Ama-me, molha a minha alma nua
Num mar de prazer, rasga-me a roupa
Enquanto deleito-me nos teus braços.