Loading

ISABEL MORAIS RIBEIRO FONSECA

castelafonseca@sapo.pt

DESCREVER-TE, ESCREVER-TE


Queria descrever-te

No cais onde o barco dorme

Queria escrever-te

No gemido do silêncio dos nossos corpos

Queria descrever-te

Na noite dentro das tuas pálpebras

Queria escrever-te

Nas vozes caídas do deserto

Queria descrever-te

Num barco feito de sal fora da pele

Queria escrever-te

No voo antecipado da gaivota

Queria descrever-te

Na proa com um sorriso à espera da maré alta

Queria escrever-te

Só as partes do corpo que abraçaste

Queria descrever-te

Abraçar-te até morrer meu amor.!