Loading

ISABEL MORAIS RIBEIRO FONSECA

castelafonseca@sapo.pt

EU SOU

Eu sou um espectro
Numa sombra escura
De falecidas formas
Sombra misteriosa
Pela ironia escura
Ou serei um ser vivo
Nas florestas sagradas
Do silêncio entre a morte
E a vida na satisfação
Do encontro entre as almas
Que se unem escondidas
Quando o corpo repousa.