Loading

ISABEL MORAIS RIBEIRO FONSECA

castelafonseca@sapo.pt

EU VOU

Vou amar
Sem me perder, sem me crucificar
Vou sobreviver, espairecer
Até morrer para demonstrar
O que vive em mim
Deixar sair, sem nada sentir
Deixar fluir, sem me repetir
Fugir das prisões
Libertar-me dos grilhões
Vou tentar fugir
Mas de ti nunca
Sou assim, crescer, amar
Vivi com intensidade
Todos os momentos
Aprendi amadurecer
Coloquei no meu coração
Tudo que senti
Deixar andar sem nada esperar
Aceitar o que está
Para vir sem nunca duvidar.