Loading

ISABEL MORAIS RIBEIRO FONSECA

castelafonseca@sapo.pt

"EXALTAÇÃO"

Os meus pés descalços

Caminham entre pedras afiadas

No afago das vagas onde dorme a ilha encantada

Sem bússolas, sem mapas, sem rumo

Apenas este sol quente, que ilumina o meu destino

Estrada de um céu de infinitas estrelas

Folheio os livros esquecidos da minha história

Onde as minhas palavras escritas são fragas

De letras que florescem nas noites escuras

Dispersas num luar sem luz, sem exaltação

Numa tarde de outono tranquila cheia de gaivotas sem destino.