Loading

ISABEL MORAIS RIBEIRO FONSECA

castelafonseca@sapo.pt

FOI PARA TI


Que desfolhei as flores no verão
Que abri as janelas da alma
Que amei quando não sabia amar
Que a chuva chorava de alegria
Que as palavras eram de felicidade
Que as amoras se tornaram lembranças
Que os umbrais de casa são saudade
Que plantei camélias de várias cores
Que desenhei nas paredes do quarto o teu rosto
Que pintei as rosas do jardim de vermelho
Que amei-te hoje para voltar a amar-te amanhã
Que enganei a morte quando me veio buscar
Foi para ti, só para ti, meu doce amor.