Loading

ISABEL MORAIS RIBEIRO FONSECA

castelafonseca@sapo.pt

MAR TÃO NOSSO

MAR TÃO NOSSO


Amo o teu corpo como um oceano infinito

Com os meus linfáticos sentimentos agitados

Pelas ondas deste mar que eu tanto amo

Tu és o meu lobo que tocas no meu coração

E em cada movimento, roubas-me a respiração

Pois a única esperança desta a vida é o teu beijo

O mar são os teus braços que resgatam o meu

Suspiro, talvez o último com o balanço das fortes

Ondas da nossa tempestade, juntos os nossos corpos

Flutuam na paixão do furacão que nos encontramos

Tu fazes parte do meu mar, da minha praia, de mim

Das minhas ondas que vagam entre os cardos que são

Lançados contra as rochedos, são as conchas

Dos nossos murmúrios, gemidos deste amado mar tão nosso.