Loading

ISABEL MORAIS RIBEIRO FONSECA

castelafonseca@sapo.pt

MORAS EM MIM


Tu que moras no meu seio

Na carne rasgada do meu corpo

Feitiço do meus lábios à procura da tua boca

Mel que deixas na minha pele, de incontrolável sabor

Da tua sensualidade dos meus sentidos

Mar de ondas invisíveis do nosso próprio silêncio

Onde acaricias a nudez da longa madrugada

Com a cumplicidade tão nossa, meu amor

Os olhos aquecem, semeiam os nossos beijos

Tu teces a minha pele, que rasteja no teu calor perfumado

Da tua alma, da tua carne quente, do teu coração

Semeias as palavras em cada respiração pela boca do desejo

Tira o fôlego com o toque das tuas mãos da carne trémula

Devorando a fome da nossa pura nudez, com o suor em chamas.