Loading

ISABEL MORAIS RIBEIRO FONSECA

castelafonseca@sapo.pt

OS LOBOS

Os lobos não usam coleira
As horas correm lentamente
Em que o sol se põe sobre mim
As árvores ficaram secas
Nuas e eu também
Neste silêncio arrastado
Em que a alma se afunda
Com os olhos já cansados
Escura neblina em sentimento
Como um manto de seda que se arrasta
Entre as ervas secas e ramagens
Quando a luz do sol se retira
Prende-se o corpo já cansado
Da sementeira de pedras colhidas.

Mia Rimofo