Loading

ISABEL MORAIS RIBEIRO FONSECA

castelafonseca@sapo.pt

OUVE-ME

Ouve-me meu amor
Este meu silêncio
Que tanto me sufoca
Conforta-me amor
Quando chegar a ti em pranto
Ouve-me apenas, apenas meu amor
Este meu silêncio que é arrepiante
Nas palavras que guardo na alma
Não quero viver sem saber amar
Sinto-me embriagada sem ti
Mas o meu silêncio acaricia-me
Abraça-me, aperta-me, contra o teu peito
No calor do teu corpo quando tu
Percorres-me onde tanto me delícia.