Loading

ISABEL MORAIS RIBEIRO FONSECA

castelafonseca@sapo.pt

PEDAÇOS

São os pedaços de alegria
Nos cantos dispersos
Das pétalas que caiem
Nos versos já feitos
Em soluços de risos
De palavras lá longe
De doce fantasia
Reservo o direito
De querer mais
Para pintar o coração
Onde chora a alma
Do outono de tantas
Lembranças sepultadas
De alguma esperança
Murmúrio de folhas secas
Nas lágrimas que caiem
Dos meus próprios olhos
Nos caminhos tortuosos
Das sombras floridas.