Loading

ISABEL MORAIS RIBEIRO FONSECA

castelafonseca@sapo.pt

PENSAMENTOS AMOR

AMOR

Quando as árvores se despirem

E as folhas cairem sem pudor

Neste outono sentirei

A minha alma voar

Pela serra e a minha sombra

Será uma loba

Na nudez dos ramos despidos.

-

Amor desata

Todos os nós

Do meu corpo

Para que eu possa

Amar-te com a liberdade

Que o meu corpo deseja.

-


A minha alma repousa

Nos ramos despidos

Sem pudor no teu corpo

Na árvore plantada

Deste nosso Outono.