Loading

ISABEL MORAIS RIBEIRO FONSECA

castelafonseca@sapo.pt

PENSO

Penso para lá dos montes
Em pensamento de outro
Onde a solidão não morava
Aqui como mora agora
Fragas do meu sentimento
Nas cinzas da lareira acesa
Saudades de outrora em que
Percorria as ruas de pedras
Agora carrego-as nos pés
De cansaço que sinto no corpo
Tempos que já não voltam
Nem que passem mil anos
Em cada perna, penso em tudo
Que vivi nestes anos que passaram
Nesta solidão que me foi imposta.

Mia Rimofo