Loading

ISABEL MORAIS RIBEIRO FONSECA

castelafonseca@sapo.pt

PÁGINAS

As páginas despedaçadas de um livro
Não lido, insano verto, rasgado o pulso
Sangue que por mim ora nestas páginas
Não lidas, triste gesto de talvez uma louca

Insana paixão de vibrações doridas nas
Páginas despedaçadas tingidas de lama
Por amar quem me tirastes por impulso
E me deste esta minha solidão infernal

Expulso reverto este meu inferno solitário
Alma no último perfume do meu coração
Páginas de uma flor silvestre que deu vida
Ramos que balançam sem fruto ao vento

Corpo despedaçado abandonado à sorte
Abraço refeito em fantasia sobre o peito
Neve no prado de murchas flores frias
Orvalho sentido na pobre alma esta a minha.