Loading

ISABEL MORAIS RIBEIRO FONSECA

castelafonseca@sapo.pt

PRECISO

PRECISO

Preciso desse
Opio que me dás
Cocaina que inalo
Quando te sinto
Desejo fundido
Entre sedentos beijos
Beber-te com loucura
No puro absinto
Aspiro-te faminta
No lúbrico prazer
Em amar-te loucamente
Por instinto
Possuir-te nesta
Minha constante fome
Num beijo sofrego
De sedenta paixão
Onde me perco
No teu corpo de encanto
Nos delírios
Mais loucos que tenho
Desejo escrito na lua por nós
Do ópio agarrado
Na pele em delírios
Gemidos dados
Que me une loucamente
A ti no prazer de segredar-te
Palavras loucas
De extâse perdidas
Na lucidez de me sentir
A morrer por ti.