Loading

ISABEL MORAIS RIBEIRO FONSECA

castelafonseca@sapo.pt

QUANDO EU MORRER

Quando eu morrer, não chores
Eu não te poderei ouvir
Quando eu morrer, não peças perdão
Eu não te poderei perdoar
Quando eu morrer, não me tragas flores
Eu não sentirei o seu perfume
Quando eu morrer, não sintas saudades
Eu não as terei de certeza
Quando eu morrer, lembra-te
Dos momentos felizes, serei uma poesia
E estarei em paz com Deus.