Loading

ISABEL MORAIS RIBEIRO FONSECA

castelafonseca@sapo.pt

QUANDO ME ENTREGO

Quando me entrego
No teu corpo delicio-me
Quando te beijo
Enebria-me os sentidos
Só tu preenches
O meu lado sombrio
Quero ficar louco
Amando-te
Quero-te sem medo
Sem receios
Como um poema perfeito
Numa eterna peça de amor
Numa entrega total
Amando-te mais
Desejado-te mais ainda.