Loading

ISABEL MORAIS RIBEIRO FONSECA

castelafonseca@sapo.pt

QUANDO O INVERNO

Quando o inverno chegar
Os meus pés estarão frios
Serás tu que me aquecerás
Esta angústia no meu peito
Nesta velha cama tão nossa
Sonhos apagados dos passos
Dados pelos ponteiros do relógio
Endiabrado sentimento teu
Para que o rio afogue as dores
Que sentes tantas vezes
Nos dias quentes que sentimos
Agarrados neste cobertor de lã
Áspero que nus, nos pica o corpo
E nós parvos nos sentimos, que amor
Que belos dias de inverno ensolarado.