Loading

ISABEL MORAIS RIBEIRO FONSECA

castelafonseca@sapo.pt

SEGURA

Segura nas minhas mãos
Como se falassem contigo
Coisas doces as tuas
Tantas vezes em silêncio
Olha-me nos olhos, é como
Se estivesses dentro deles
Agarra-me com força
Como se fôssemos fogo
Dentro um do outro como lava
Ama-me com carinho tatuando
Na pele o teu nome nesta noite
Como se a chuva fosse fazer tréguas
A tempestade que faz lá fora
Segura nas minhas mãos meu amor
Olhando-me com o teu carinho
Como se me dissesses que fomos feitos
Um para o outro, mais nada
Segura nas minhas mãos com ternura
Meu doce amado amor