Loading

ISABEL MORAIS RIBEIRO FONSECA

castelafonseca@sapo.pt

SEPULTEI

SEPULTEI



Todas as memórias equecidas
Sem dores, sem lamúrias
Sem sofrimentos, sem mágoas
Sepultei sem flores, sem nome
Sem lápide, sem lamento, sem lembrança
Deitei a chave para um profundo poço
Num esquecimento do meu coração
Da minha alma e sobrevivo com esperança
Renovada todos os dias de um sol resplandescente.