Loading

ISABEL MORAIS RIBEIRO FONSECA

castelafonseca@sapo.pt

SINTO-ME NUA

Sinto-me nua
Despida de mim
Com saudades de ti
Sinto-me despida da pele
Que me cobria o corpo
Que era esse o teu abraço
Quente que me tapava
Com tanto carinho
Mas hoje sinto-me despida
Nua de mim mesma
Como uma rosa que perde
As suas pétalas pelo vento.