Loading

ISABEL MORAIS RIBEIRO FONSECA

castelafonseca@sapo.pt

TENTO TRINCAR

Tento trincar as pedras da rua
Neste nevoeiro solto da alma
Nos fios de seda com que desenho
Todos os abismos num sonho embalado
Que já dorme profundamente
Entre o silencioso tempo que passa
Envolvendo-me com ternura
Toda esta minha dura ansiedade
Para trincar as fragas da serra
De tantos outonos passados sozinho.