Loading

ISABEL MORAIS RIBEIRO FONSECA

castelafonseca@sapo.pt

TU ÉS AMOR


Tu és o meu caminho, a minha quimera

Tu és o meu vinho, o meu maior vício

Tu és o meu bálsamo de aroma benigno

Tu és a minha flor mais perfumada

Tu és o meu barco que navega à deriva

Tu és as gotículas sedentas da minha seiva

Tu és a minha sinfonia das pétalas de rosas

Tu és a minha textura morna das próprias letras

Tu és o espaço aberto das doces palavras

Tu és o som inacabado de uma bela canção

Tu és as linhas escritas do meu destino

Tu és o verbo amar ditado em versos

Tu és o meu afago no coração de carinhos

Tu és o desejo rasgado no meu peito

Tu és a minha inquietude na minha alma

Tu és o meu mundo pincelado de cores

Tu és a minha poesia de vários sabores

Tu és uma procissão alegre que dança um tango

Tu és a razão da minha existência no infinito

Tu és a minha doce melodia que dá cores à vida

Tu és a minha doçura nas noites cheias de felicidade

Tu és o meu violino que toca no meu corpo.