Loading

ISABEL MORAIS RIBEIRO FONSECA

castelafonseca@sapo.pt

VIVO SÓ

Vivo só na solidão
Entre todos os incertos
Que nos calam ferozmente
Nesta paixão que não tem rédeas
Entre a chuva no silêncio das árvores
E nas ruas apenas se escuta
O canto suave dos pingos de água
E é na calada da noite que o meu coração
Grita com veroacidade o teu nome
Entre a chuva silenciosa que cai lá fora.